I Encontro Nacional de Juventudes e Espiritualidade Libertadora

Alô, Alô, JUVENTUDE SAGRADA!

Em breve, a cidade de Fortaleza/Ceará sediará um evento muito importante para todos nós: o I Encontro Nacional de Juventudes e Espiritualidade Libertadora. Graças aos meios de comunicação, este evento poderá ser partilhado tanto com a Juventude que estará ali, de forma presencia, quanto com a que está longe.

Informações sobre o I Encontro Nacional de Juventudes e Espiritualidade Libertadora

Não vamos deixar de nos envolver nesta bonita dinâmica, em busca de uma base cada vez mais sólida para a construção da nossa ESPIRITUALIDADE LIBERTADORA, NO SEGUIMENTO DE JESUS CRISTO! Veja as indicações de data, temas, participantes, entre outras – www.espiritualidade2014.com.br

Não deixe de postar aqui, no nosso Blog, o que deseja partilhar com todos(as) nós!

Ir. Rosinha – Animadora Vocacional

Anúncios

“Copa do Mundo, dignidade e paz”

Tendo em vista o maior campeonato mundial de Futebol que se iniciará dentro de poucos dias, a CNBB, a Pastoral do Turismo e o CONIC nos presenteiam com um material muito útil e provocativo, intitulado “COPA DO MUNDO, DIGNIDADE E PAZ”. O objetivo é incentivar a paz e a harmonia entre todos durante o evento. Chamamos a atenção para os 3 CARTÕES: – Cartão Vermelho → PREOCUPAÇÕES – Cartão Azul → EXIGÊNCIAS PARA A VITÓRIA DE TODOS – Cartão Amarelo → COMO IGREJA, NOS COMPROMETEMOS Ir. Rosinha – RSCM – Animadora Vocacional

Frente

Frente

 

Verso

Verso

Animadora Rede JPIC

Carta às Irmãs de Carapina – por Daniela Santos

Adorei a acolhida, primeiramente das Irmãs de Vitória. Gostei imensamente de cada uma. Pena que não lembre o nome de todas, pois são muitas e cada uma com seu jeitinho alegre, cheias de carinhos e um coração sem tamanho.

Daniela Santos visita comunidades religiosas do Sagrado Coração de Maria.

Fiquei feliz também quando cheguei na casa das Irmãs de Carapina: Irmã Duza, Irmã Lúcia, Irmã Cláudia e Irmã Clair. A casa das Irmãs me fez lembrar tanto as Irmãs de Porto Seguro: um lugar luminoso e aconchegante, onde “sempre cabe mais um”. Pude participar da Santa Missa na Comunidade São Pedro, sentindo muita alegria, pois havia muito não ia à Missa.

Confesso que estou cada vez mais apaixonada por essa Congregação que tem por objetivo construir uma sociedade mais digna em sua luta pela VIDA.

Quero agradecer a Deus ter colocado pessoas tão especiais em minha vida que, de um jeito ou de outro, me ajudam cada vez mais a ver o mundo com outros olhos. Realmente meu coração se alegra muito quando estou ao lado de cada Irmã que faz parte da Congregação das RSCM.

Obrigada, queridas Irmãs, por essa acolhida tão maravilhosa e significativa para mim.

Gostei de tudo e de todas. Vocês já fazem parte de minha vida e já ocupam um lugarzinho no meu coração.

Daniela Santos (1)

Beijos
Daniela Santos

“O ano de 2015 será dedicado à vida consagrada”, disse Papa Francisco na Assembleia da União dos Superiores Gerais

Em novembro de 2013, o Salesianum de Roma foi sede da 82ª Assembleia Geral da União de Superiores Gerais. O encontro reuniu reflexões centradas no papel dos Superiores à luz do magistério e do exemplo do Papa Francisco. O mesmo Papa decidiu encontrar os superiores durante três horas. Não houve nenhum discurso preparado com antecedência, mas uma comprida conversa fraterna e cordial feita à base de perguntas e respostas.

De acordo com a União de Superiores Gerais informa, o primeiro conjunto de perguntas foi sobre a identidade e a missão da vida consagrada. A radicalidade é pedida para todos os cristãos, afirmou o Papa, mas os religiosos estão chamados a seguir o Senhor de maneira especial: “São homens e mulheres que podem acordar o mundo. A vida consagrada é profecia, Deus nos pede para sair do ninho e ser enviados às fronteiras do mundo, evitando a tentação de domesticá-los. Essa é a forma mais concreta de imitar o Senhor”.

Ao ser questionado sobre a situação das vocações, o papa destacou que existem igrejas jovens que estão dando frutos novos. Isso obriga naturalmente a pensar de novo na inculturação do carisma. Acrescentou que a Igreja deve pedir perdão pelos casos de fracassos apostólicos por causa dos mal-entendidos neste campo, como no caso de Matteo Ricci. O diálogo intercultural, além do mais, deve motivar a colocar no governo dos Institutos religiosos, pessoas de várias culturas que expressam diversas formas de viver o carisma.

Além disso, o Santo Padre tem colocado grande ênfase na formação que, em sua opinião, é baseada em quatro pilares fundamentais: formação espiritual, intelectual, comunitária e apostólica.

É essencial evitar qualquer forma de hipocrisia e de clericalismo através de um diálogo franco e aberto sobre qualquer aspecto da vida dado que “a formação é uma obra de artesanato e não policial”, afirmou Francisco. “O objetivo é formar religiosos que tenham um coração terno e não ácido como vinagre. Todos somos pecadores, mas não corruptos. Aceita-se os pecadores, mas não os corruptos”.

Também lhe perguntaram sobre a fraternidade, e o santo padre respondeu que esta tem uma forma de atração enorme, supõe a aceitação das diferenças e dos conflitos. Às vezes é difícil vive-la, mas se não se vive não se é fecundo. Em qualquer caso “nunca devemos atuar como gestores diante do problema de um irmão: é preciso acariciar o conflito, disse o Papa.

Por outro lado, formularam algumas perguntas sobre as mútuas relações entre os religiosos e as igrejas particulares nas quais se encontram. O papa afirmou conhecer por experiência os possíveis problemas: “Nós os bispos, devemos aprender que as pessoas consagradas não são material de ajuda, mas carismático, que enriquecem as dioceses”. As últimas perguntas foram relacionadas às fronteiras das missões dos consagrados. “Estas devem ser procuradas em base aos carismas”, respondeu o santo padre e lembrou que as realidades de exclusão permanecem a prioridade mais importante.
Junto com esses desafios, Francisco citou o cultural e o de educação nas escolas e nas universidades. Para o papa os pilares da educação são: “transmitir conhecimento, transmitir modos de fazer, transmitir valores. Através destes, transmitir a fé. O educador deve estar preparado para as pessoas que educa e perguntar-se sobre como anunciar Jesus Cristo a uma geração que muda”.

Antes de deixar os 120 superiores gerais presentes, o papa anunciou que o 2015 será um ano dedicado à vida consagrada. Deixando a sala, o santo padre afirmou: “Obrigado, pelo que fazeis e pelo vosso espírito de fé e a procura do serviço. Obrigado pelo vosso testemunho e também pelas humilhações pelas quais passam”. (RED RL / Tradução e adaptação TS)

(29 de Novembro de 2013) © Innovative Media Inc.

Visita da jovem Daniela à nossa Comunidade RSCM

O dia 27 de março foi muito significativo para as Irmãs Sagrado Coração de Maria de Vitória e da Serra, no Espírito Santo, pois acolhemos a jovem Daniela, ex-educanda do nosso Projeto Vida de Porto Seguro, muito amiga das Irmãs de lá e que deseja conhecer melhor a nossa Congregação. Ela está morando em Vila Velha, a pedido da mãe, para acompanhar seu irmão que está com problemas de saúde.

Daniela chegou primeiro a Vitória, almoçando com na nossa Comunidade RSCM, sendo acolhida com carinho. Ir.Cláudia foi buscá-la e levou-a para conhecer o nosso Colégio, só depois a trouxe para a Serra, onde nós a esperávamos ansiosas. A alegria foi grande, não só em nossa Comunidade mas também para nossos vizinhos, a quem comunicamos essa visita que era importante para nós. Após os gestos de acolhimento e conhecimento da realidade em que vivemos, lanchamos e fomos à Missa na Comunidade São Pedro.

No dia seguinte Daniela participou de Oração Comunitária, tomamos café e levei-a ao nosso Projeto Vida de Jardim Carapina. Para ela foi uma alegria sentir a vida que lá corria, com 90 educandos participando de várias atividades. Ficou encantada também com o acolhimento que recebeu e com as instalações do Projeto. Como deveria trabalhar na parte da tarde, levei-a ao Terminal onde se despediu, agradecendo o acolhimento e prometendo voltar em breve. Daniela está feliz, pois conseguiu um emprego com carteira assinada!

Que Deus continue iluminando essa Jovem que quer realmente saber o que Deus espera dela e responder com firmeza. Vamos colocá-la em nossas preces!

Ir.Mª Anjos (Duza)
Animadora Vocacional-Região Esp.Sto, RJ, SP

Caminhos para construir cultura vocacional hoje, como expressão de uma Igreja em estado permanente de missão

Estar me atualizando constantemente é uma necessidade e uma grande alegria, na missão a que me sinto chamada a responder neste momento: Animadora Vocacional da Região Bahia – Congregação das Religiosas do Sagrado Coração de Maria.

Dos dias 24 a 28 de março participei da 3ª Semana Vocacional Missionária, em Brasília, no CCM (Centro Cultural Missionário) – Formação para Animadoras e Animadores Vocacionais e Missionários. Ir. Rosinha, Animadora Vocacional RSCM da Região Minas e Brasília também participou deste evento.

Éramos 55 pessoas, entre padres, Irmãs e leigos vindos das diferentes regiões do Brasil, buscando caminhos novos para renovar quem somos e poder responder ao chamado, à missão que Deus nos pede. A metodologia usada durante o curso foi riquíssima, entre trabalho pessoal, grupal e plenária; momentos de oração, Celebrações Eucarísticas; noite cultural, cine vocacional, partilha da missão das Pontifícias Obras Missionárias (POM).

Grupo de religiosas reunidas para a 3ª Semana Vocacional Missionária

Grupo reunido durante 3ª Semana Vocacional Missionária

 Os conteúdos foram intensos:

1- Igreja em estado permanente de missão: contexto para construir cultura vocacional – Pe. Estêvão Raschietti, sx;

2-Teologia e Espiritualidade para construir cultura vocacional missionária latino-americana – Pe.Valdecir Ferreira;

3-Caminhos e orientações pedagógicas para a Pastoral Vocacional missionária hoje – Ir.Nilza Fátima de Moraes,FMA.

Grupos de discussão com Ir. Rosinha

Grupos de discussão com Ir. Rosinha

Grupos de discussão na 3ª Semana Vocacional Missionária

Grupos de discussão com Ir. Lúcia Gama

 

Vocação e missão, assim como o discipulado e a missão, representam como que os dois lados da mesma moeda (cf. DAp 146): O chamado de Deus é sempre para uma missão e a missão sempre tem origem num chamado e num mandato de Deus.

No centro da Igreja está Deus, que a envia. A missão, antes de ser uma atividade, é DEUS, VIDA que se comunica. O impulso missionário vem de Deus. Missão não é para “fazer obras” e sim fazer discípulos missionários – outros/as seguidores/as. O seguimento de Jesus é sempre para a missão – verdadeira vida de Deus. A adesão a Jesus Cristo se faz através da Missão!

Reflexões em grupo

Reflexões em grupo

Quais são os desafio a serem enfrentados?

Quais são os desafio a serem enfrentados?

Foram apontados 5 grandes desafios – sinais dos tempos: crise do individualismo, fome de espiritualidade, o fenômeno da globalização, uma nova visão cosmológica, a revolução tecnológica. Estamos em uma mudança de época que atingem os próprios critérios de compreender a vida, tudo o que a ela diz respeito, inclusive a própria maneira de entender Deus. Diante destes desafios existem duas exigências:

1ª exigência: Começar tudo de novo:

  • Olhar para a mudança de época significa buscar uma base sólida para enfrentá-la, voltando às fontes e recomeçar a partir de Jesus Cristo (DGAE 27).

2ª exigência: sair ao encontro:

  • A atual consciência missionária interpela o/a discípulo/a missionário/a a sair ao encontro das pessoas, das famílias, das comunidades e dos povos para lhes comunicar e compartilhar o dom do encontro com Cristo (DGAE 31).
  • Somos convidados/as a aceitar esta chamada: sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as “periferias” (EG 20).

O contexto atual exige de nós: mudança de mentalidade, sensibilidade, pedagogia e um processo contínuo de conversão:

PARA CONSTRUIR UMA CULTURA VOCACIONAL MISSIONÁRIA HOJE.

Irmã Lúcia – eilgama@bol.com.br